9 dicas para manter a imunidade alta no Carnaval


A época dos bloquinhos de Carnaval está chegando e os brasileiros começam a se preparar para a folia escolhendo uma fantasia divertida, marcando o encontro com os amigos e vibrando com os shows que assistirão. Só que para a diversão não acabar no hospital é importante redobrar os cuidados com a saúde para protegê-la nesse período.

“Nessa época de excessos, com muita bebida alcoólica e trash food, além de confete e serpentina, é comum chegarmos “só o pó” na quarta-feira de cinzas e as gripes, dores de garganta, rinites e sinusites “atacam” muitas pessoas, pela baixa da imunidade”, explica Dra. Carla Falsete, otorrinolaringologista pela ABORL-CCF.

Pensando nisso, a especialista separou nove dicas preciosas do que fazer durante o Carnaval para manter a imunidade alta e não ter dor de cabeça mais tarde!

1. Capriche na hidratação

Na folia dos bloquinhos de Carnaval, a garrafa d’água perde o lugar para a lata de cerveja e outras bebidas alcóolicas. Mas, não é o ideal! A falta de água no organismo pode levar a problemas como fraqueza, tontura, dor de cabeça e cansaço. Por isso, a dica de ouro é intercalar a cervejinha com uma garrafa d’água ou ainda, se preferir, com uma água de coco geladinha.

2. Faça ao menos uma refeição com “comida de verdade”

Caso a pessoa saiba que não vai conseguir se alimentar direito ao longo do dia, enquanto aproveita a folia, há uma saída para proteger sua imunidade. Dra. Carla recomenda que, nesse caso, se faça pelo menos uma refeição com “comida de verdade”, como frutas e verduras, no dia.

3. Não abandone sua rotina de atividades físicas!

Em tempos de folia, é difícil pensar em malhar. No entanto, a otorrinolaringologista é firme: “Pode diminuir o ritmo das atividades físicas, mas não abandonar!”. Isso porque exercícios físicos fortalecem o sistema imune, uma vez que há o aumento das suas células quando o indivíduo pratica principalmente atividades de intensidade moderada.

4. Durma o máximo possível

Além de acordar mais descansadoa no dia seguinte e, quem sabe, enfrentar mais um bloquinho, a pessoa que dorme bem tem mais imunidade. Isso acontece porque é ao deitar-se para descansar que o sistema imunológico é reorganizado e recupera-se de possíveis contágios. De acordo com a Dra. Carla, o ideal é dormir de sete a oito horas por dia!

5. Use protetor solar!

Ainda que tomar sol seja importante para garantir mais saúde ao organismo – ele é necessário para a produção da vitamina D, por exemplo -, é preciso cuidado com os excessos. Assim, a otorrino alerta sobre a importância de usar protetor solar ao entrar em contato com o sol para que não haja queimaduras, uma vez que elas diminuem a imunidade.

6. Não esqueça o álcool em gel

A pandemia da Covid-19 deixou um legado importante para a saúde: é por meio das mãos que levamos aos olhos, boca e nariz, que acabamos contaminados pelos mais diversos tipos de agentes infecciosos. Então, para evitar esse possível contágio no Carnaval, a Dra. Carla recomenda separar um tubo de álcool em gel e levá-lo na bolsa. “Assim, de tempos em tempos, na folia, higienize as mãos”, orienta a especialista.

7. Consuma bebidas alcoólicas com moderação

A ingestão de bebidas alcoólicas durante o Carnaval precisa ser feita de maneira controlada. Isso porque o álcool, ao entrar no organismo, também atinge as células do sistema imune. Quando isso ocorre, a eficácia delas acaba ficando reduzida, o que diminui sua resposta de combate a vírus e bactérias. Portanto, consumir bebidas alcoólicas de forma desenfreada pode acabar resultando em resfriados, gripes, dor de garganta e outros problemas relacionados à falta de imunidade.

8. Evite compartilhar copos, talheres e garrafas

Por mais que seja um hábito comum compartilhar copos e garrafas durante a folia do Carnaval, essa é uma desencorajada pela otorrino. Por meio da saliva, pode acabar acontecendo a transmissão de doenças infectocontagiosas. Portanto, para dividir itens pessoais, é preciso que eles sejam limpos com água e sabão ou desinfetados com álcool 70%.

9. Cuidado com as bocas que beija!

Dra. Carla alerta: “o beijo é uma das formas de transmissão de diversas doenças virais como a mononucleose (a “doença do beijo”) e hepatite A, além de vírus respiratórios, como coronavírus e influenza”. Portanto, é preciso cuidado ao se relacionar durante o Carnaval!

Foto Destaque: Reprodução





Source link