Atividade industrial recua em janeiro


O estoque se encontra acima do nível esperado pelas empresas

A Sondagem Industrial, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), aponta queda da produção e do emprego em janeiro de 2023. O índice de evolução da produção está em 46,1 pontos, abaixo da linha divisória de 50 pontos. Ele varia de 0 a 100 e quanto mais distante da linha de corte, em direção ao zero, maior e mais disseminado é o recuo. Para pequenas empresas, esse indicador é de 40,7 pontos, das médias, 45,5 pontos, e das grandes, 49 pontos. Foram consultadas 1.646 empresas entre 1º e 9 de fevereiro de 2023.

O índice de evolução do número de empregados recuou para 47,8 pontos. O resultado indica que a percepção de queda do emprego industrial que marcou o último trimestre de 2022 se manteve no início de 2023. Também há diferença entre os portes de empresa. O indicador é de 46,6 pontos para as pequenas, 47,6 pontos para as médias e 48,5 pontos para as grandes. A economista da CNI Cláudia Perdigão explica que o comportamento da atividade é próximo ao esperado para os meses de janeiro, com os indicadores permanecendo próximos às suas médias para o período. Cláudia destaca que a utilização da capacidade instalada se manteve estável em 67% na comparação com dezembro de 2022.

“A UCI sinalizou acomodação em janeiro de 2023. Esses resultados indicam desaceleração após a indústria registrar atividade mais forte que o habitual em 2022”, explica. O índice do nível de estoque efetivo em relação ao planejado registrou 51,6 pontos em janeiro. O dado mostra que o estoque se encontra acima do nível esperado pelas empresas. Apesar do cenário percebido em janeiro, Cláudia destaca aumento nos indicadores de expectativas para o primeiro semestre e melhora, ainda que pequena, nas intenções de investimento.



Source link