Barroso “está pronto” para ser presidente do Brasil, diz Sarkozy


O ex-presidente da França, Nicolas Sarkozy, declarou nesta sexta-feira, 13, que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, está pronto para ser o próximo presidente do Brasil.

A declaração foi dada durante o Fórum Internacional Esfera Brasil, realizado em Paris, durante o qual Barroso realizou uma palestra.

Barroso discursou longamente sobre a atuação do STF em temas ligados ao legislativo, mudanças climáticas, desigualdade social, entre outros temas.

Segundo o ex-mandatário francês, o ministro fez um “discurso de orientação política”, o que justificaria sua candidatura a uma “nova presidência da República”.

“O presidente da Corte Suprema fez discurso incrível. O senhor está pronto para uma nova presidência, uma outra presidência. Foi um discurso excelente, eu entendi tudo, trata-se de um discurso de orientação política, muito mais do que um discurso de orientação jurídica, muito interessante”, declarou Sarkozy.

Todavia, Barroso respondeu que não pretende entrar na disputa. “Não passa pela minha cabeça”, disse.

Barroso salientou o “protagonismo” do STF

Durante seu discurso, Barroso salientou o “protagonismo” do STF em questões abrangentes da Constituição Federal, que acabam frequentemente sendo objeto de judicialização no tribunal.

Saiba mais: A posse de Barroso na presidência do STF

Segundo o ministro, “é preciso que o interesse seja muito chinfrim para não chegar ao Supremo”.

Além disso, para Barroso, as críticas e contestações de uma interferência do STF nas prerrogativas do poder Legislativo e Executivo ocorrem por conta da transmissão televisiva de julgamentos e pela extensa cobertura da imprensa.

Isso contribuiria, segundo o ministro, para aumentar a visibilidade do STF.

“Derrotamos o bolsonarismo”, disse Barroso

Barroso assumiu a presidência do STF em agosto deste ano, após ter protagonizado uma longa série de polêmicas nos últimos anos.

Saiba mais: ‘Derrotamos o bolsonarismo’, diz Luís Roberto Barroso

A mais recente das quais foi a declaração no congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), em julho, quando Barroso declarou que lutou para “derrotar o bolsonarismo”.

A declaração provocou duras críticas e diversos pedidos de impeachment contra Barroso protocolados no Senado Federal.



Source link