Bill Gates elogia sistema de saúde pública do Brasil: ‘Outros países podem aprender e imitar’ – Notícias

[ad_1]


O empresário Bill Gates, fundador da Microsoft e criador do Windows, publicou texto nesta terça-feira (12) no qual elogia o sistema de saúde pública do Brasil e chega a afirmar que o restante do mundo poderia aprender com o país.


“Em cerca de três décadas, o Brasil reduziu a mortalidade materna em quase 60%, reduziu a mortalidade infantil de menores de 5 anos em 75% — ultrapassando em muito as tendências globais — e aumentou a esperança de vida em quase uma década. Nenhuma dessas conquistas foi acidental. Em vez disso, são o resultado de investimentos de longo prazo que o Brasil fez no seu sistema de saúde primário, com os quais outros países podem aprender e imitar”, escreveu no artigo Lições de salvamento de vidas do Brasil.



Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Assine a newsletter R7 em Ponto


No texto, o bilionário ressalta que é “um grande fã do Brasil há algum tempo” e relembra a primeira vez que esteve no país, em 1995, quando a Microsoft ainda estava desenvolvendo as suas operações aqui para lançar o home banking.


“Algumas das minhas viagens favoritas em família foram à Amazônia, cujo rio, bacia e floresta tropical surgem frequentemente durante conversas sobre alterações climáticas. Mas, só quando comecei a trabalhar na saúde pública é que comecei a apreciar quão impressionante é o histórico do Brasil nesta área — e quanto o resto do mundo poderia aprender com ele”, diz Gates.


O criador do Windows destaca o Sistema Único de Saúde (SUS), criado pela Constituição Federal de 1988 para garantir o acesso integral, universal e gratuito para toda a população do país. “Na década que se seguiu, as mortes por doenças não transmissíveis e por causas maternas, neonatais e nutricionais começaram a diminuir e a esperança de vida aumentou. Com o aumento dos serviços de saúde primários, até as hospitalizações caíram.”


Os elogios de Bill Gates se estendem principalmente ao programa de agentes comunitários de saúde, que são profissionais que atuam especialmente em áreas remotas. O empresário lembra que mais de 286 mil agentes atendem quase dois terços da população, o equivalente a cerca de 160 milhões de pessoas, oferecendo orientações sobre saúde e higiene, defendendo cuidados preventivos e acompanhando consultas médicas.


“Atuam como porta de entrada para o maior sistema de saúde público gratuito e universal do mundo, e seu impacto tem sido transformador. Eles são creditados por reduzirem ainda mais a mortalidade infantil e por levarem a cobertura vacinal a níveis quase universais”, diz Gates.


O bilionário também elogia o programa Bolsa Família e o seu papel na redução da pobreza no país. “Pude aprender sobre essas iniciativas através da parceria da Fundação Gates com o Ministério da Saúde do Brasil — que se concentrou no combate à malária, melhorando a produção de vacinas, aproveitando a capacidade intelectual local para abordar questões de saúde globais e documentando o impacto dos programas sociais e de saúde por meio das ciências de dados. E fiquei realmente impressionado.”


Sem se esquecer das crises financeiras que levaram a cortes nas despesas com cuidados de saúde, o bilionário destaca que “o sistema de saúde do Brasil não precisa ser perfeito para servir como prova do que acontece quando um país investe estrategicamente no cuidado dos mais vulneráveis: os retornos são muitas vezes de longo alcance e mudam vidas”.

[ad_2]

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *