como identificar e o que fazer para ajudar seu pet

[ad_1]

Pet

Publicado em: 21/02/2024Última atualização: 21/02/2024

Publicado em: 21/02/2024Última atualização: 21/02/2024

Cão ansioso com comportamentos destrutivoscao-com-ansiedade-minuto-saudável.jpg

Os cães e os humanos compartilham fortes laços há muito tempo, sendo eles ótimos companheiros para a rotina de muitos.

Infelizmente, eles também estão suscetíveis a muitas enfermidades, até psicológicas. Por isso, a ansiedade em cachorros pode ser notada nos traços de personalidade do pet.

Diversas razões combinadas podem causar tal condição, principalmente questões emocionais, pois os animais necessitam também de certas atenções.

Neste artigo você irá aprender sobre as principais informações referentes ao assunto. Acompanhe os tópicos abaixo!

Índice — Neste artigo, você encontrará:

  1. Quais as causas da ansiedade canina?
  2. Quais os sinais de ansiedade em cachorro?
  3. O que fazer para tirar a ansiedade do cachorro?
  4. O que dar para cachorro que tem ansiedade?

Quais as causas da ansiedade canina?

As possíveis causas são variadas, e um ou mais fatores somados podem ser os responsáveis pela condição. Veja alguns deles abaixo:

  • Fatores genéricos;
  • Estresse na rotina do animal, como mudanças fortes de hábitos;
  • Falta de estímulo (caminhadas, brincadeiras);
  • Sons altos de forma constante;
  • Traumas e má condições para socialização.

Os pets se confortam muito com a rotina dada, desde que ela seja saudável, mudanças, novos animais em casa e falta de atenção adequada podem desencadear o transtorno de ansiedade nos bichinhos com o tempo.

Quais os sinais de ansiedade em cachorro?

Os sinais e sintomas de ansiedade em cães logicamente mudam muito para os indícios em humanos, pois a comunicação e raciocínio do pet é muito diferente.

Nos cachorros, os sinais podem ser:

  • Se esconder e evitar socialização de forma constante, além de apresentar tremores quando está tenso;
  • Medos e receios ao presenciar coisas novas;
  • Agressividade;
  • Roer, morder e destruir objetos;
  • Alterações na rotina de alimentação (comer mais ou menos);
  • Incontinência urinária;
  • Defecar em locais que não deve;
  • Latir além do normal, lamber patas e outros comportamentos compulsivos.

O cão fica visivelmente acuado, preferindo locais onde se sente escondido e pode apresentar latidos agressivos com aproximação ou até choro.

É importante afirmar que todas as condições citadas não devem ser utilizadas como diagnóstico, o ideal é se atentar a presença destes, ou de outros sintomas, e levar o pet até o veterinário, que fará uma avaliação adequada.

Leia mais: Vacina para cães e gatos: qual a importância de vacinar seu pet?

O que fazer para tirar a ansiedade do cachorro?

O primeiro passo sempre é consultar um veterinário, tanto para ter o diagnóstico correto quanto para descobrir os gatilhos que podem estar causando ansiedade ao cão.

Além disso, algumas mudanças podem ajudar:

  • Fornecer um ambiente rico em estímulos e saudável para o animal;
  • Promover exercícios para ele, como passeios, brincadeiras e outras atividades de companhia;
  • Passeios são muito importantes para os cães, dê uma volta com ele diariamente, se possível;
  • alimente de forma correta e conforme indicado por um profissional;
  • Em casos mais severos, o veterinário pode indicar alguns medicamentos.

O tratamento pode ser bem longo, pois tanto em humanos e para animais, tratar a ansiedade é um processo complexo.

Por isso, ter paciência e muito carinho com o animal é o passo mais importante para tratar o transtorno de forma efetiva.

Cachorro triste e tutora tenta aproximação.

O que dar para cachorro que tem ansiedade?

Primeiramente, é importante reforçar que não existe uma “fórmula mágica” que irá tratar a ansiedade do cão do dia para a noite, o tratamento é longo e busca desmontar os gatilhos existentes no comportamento do pet.

Exercícios e brincadeiras podem estimular o cão e fazer com que ele se acalme, além de fornecer um ambiente confortável, o que é muito importante.

Oferecer produtos como florais de bach, suplementos e medicamentos sem orientação de um veterinário pode ser perigoso, pois o uso deve ser feito de forma correta para evitar complicações.

Já ativos mais naturais como o chá de camomila, pode ser dado ao cachorro em poucas quantidades para tentar acalmá-lo.

Contudo, estas ações podem funcionar momentaneamente, pois o mais importante é trabalhar no que causa os sintomas.

Leia mais: Depressão em cachorros: sintomas, como diagnosticar e tratar


Todo pet necessita de atenção, carinho e muito amor, a atenção é essencial para que o cachorro se sinta parte da família.

Contudo, muitos gatilhos vão além deste cuidado, como cachorros que são adotados quando mais velhos e já contam com uma grande bagagem, por exemplo.

Por isso, é essencial estar atento aos sinais que o pet dá e levá-lo em consultas regulares ao veterinário.

Aprendeu mais sobre o assunto? Então navegue pelo Minuto Saudável para acessar outros artigos!


[ad_2]

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *