Descubra as causas e tratamentos para o seu ronco

[ad_1]

O ronco é bastante comum e afeta cerca de 40% da população adulta, segundo uma pesquisa da Associação Brasileira do Sono. Apesar de ser comum, é necessário ficar atento às possíveis causas e também ao incômodo que o som pode causar para algumas pessoas.

O som produzido no ronco é resultado das vibrações das estruturas respiratórias, especialmente na região da garganta. É um problema bastante comum, mas que afeta mais homens e pessoas acima do peso.

Músculos como a língua, a úvula (sininho da garganta) e a parte de trás do céu da boca tendem a relaxar e se expandir. O ronco ocorre devido ao relaxamento excessivo desses tecidos, o que pode estar relacionado à idade, consumo de álcool ou uso de medicamentos.

O ronco ocorre quando a nossa respiração é obstruída. Roncar pode ser um indício de um problema grave, pois a vibração das vias respiratórias não é normal. No entanto, quase todo mundo ronca uma vez ou outra na vida, e existem diversas causas para o ronco.

É importante ficar atento quando o ronco é alto e prolongado (crônico), pois pode ser um sintoma de um distúrbio do sono grave, a Apneia Obstrutiva do Sono. Ela ocorre quando as vias aéreas se estreitam a ponto de ficarem bloqueadas, interrompendo a respiração por alguns segundos.

É importante ressaltar que nem sempre a intensidade do ronco determina a gravidade da situação.


Reprodução/Getty Images


Alguns dos fatores que podem contribuir para o ronco são:

  • Estar acima do peso ou ser obeso;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Dormir de barriga para cima;
  • Fumar;
  • Uso de certos medicamentos para dormir;
  • Desvio de septo nasal;
  • Presença de amígdalas, língua ou palato mole grande;
  • Idade acima de 60 anos.

O ronco e a apneia podem causar pressão alta, aumentar o risco de infarto, diabetes, doenças cardíacas e dificuldades respiratórias.

Tratamento:

Mudanças no estilo de vida, como perder peso se necessário, evitar o consumo de álcool e sedativos antes de dormir, dormir de lado e manter uma rotina de sono regular. Tratamentos com dispositivos orais também são válidos, pois são personalizados para cada caso.

O CPAP (pressão positiva contínua nas vias aéreas) é um tratamento comum para a apneia do sono. Em alguns casos, a cirurgia também pode ser uma opção para resolver o problema.

Foto destaque:  wavebreakmedia/Shutterstock



[ad_2]

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *