El Salvador: manifestantes marcham contra prisão de supostos inocentes e reeleição de presidente – Notícias

[ad_1]


Sob um sol escaldante, centenas de pessoas marcharam nesta sexta-feira (15) para reprovar a intenção do presidente de El Salvador, Nayib Bukele, de se reeleger e para denunciar a prisão de “inocentes” na luta do governo contra os grupos criminosos.


“Não à reeleição!” e “Nem mais um dia!”, diziam alguns cartazes exibidos pelos manifestantes, que marcharam do hospital Rosales até a praça Gerardo Barrios na capital San Salvador, no dia em que se comemora a independência dos países centro-americanos.



Mães com fotos de seus filhos encarcerados exigiam a libertação desses, afirmando que são inocentes e que não há provas de que eles pertenceriam a gangues de criminosos.


· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

· Compartilhe esta notícia no Telegram


“Neste dia, marchamos unidos, dizendo não à reeleição”, declarou à imprensa a dirigente Sonia Urrutia, da Frente de Resistência e Rebeldia Popular.


O juiz Juan Antonio Durán declarou durante a marcha que “a reeleição é terminantemente proibida” pela Constituição.


Autorizado pela Suprema Corte, apesar de a Carta Magna proibir a reeleição, Bukele anunciou há um ano que buscará um segundo mandato no pleito de 4 de fevereiro de 2024, apoiado pela popularidade que conquistou com sua “guerra” contra as gangues.


‘Não sei se está vivo’



Segundo as pesquisas de opinião, nove em cada dez salvadorenhos aprovam o governo Bukele, que devolveu a segurança às ruas com sua cruzada, iniciada em março de 2022, contra as gangues que exerciam controle territorial e se financiavam com extorsões, assassinatos sob encomenda e tráfico de drogas.


Com o regime de exceção, que permite prisões sem mandado judicial, o governo deteve cerca de 72,6 mil supostos membros de gangues. Segundo as autoridades, em torno de 7.000 inocentes foram liberados.


A Igreja Católica e grupos de direitos humanos criticam os métodos de Bukele contra as gangues.


“Peço liberdade para meu filho porque ele está detido injustamente desde 2 de dezembro de 2022”, declarou à AFP Patricia Santamaría, com uma foto de seu filho Alex Ernesto Santamaría, de 34 anos.


“Não querem liberá-lo, sua ficha criminal está limpa”, acrescentou.


Uma caminhonete levava uma foto com a legenda “Libertem Duval Mata Alvarado. Tem duas resoluções judiciais e continua sequestrado em centros penais”.


Sua mãe, Marcela Alvarado, contou à AFP que o filho de 27 anos trabalhava como tratorista em uma cooperativa agrícola quando foi detido, em 18 de abril de 2022. Apesar de ter “duas cartas de liberdade” (resoluções judiciais), ele continua preso.


“Não sei se está vivo ou morto”, acrescentou essa dona de casa de 50 anos, que contou que tentou reivindicar, sem sucesso, a soltura do filho da “megaprisão” inaugurada em fevereiro por Bukele para membros de gangues.


Em uma mensagem à nação por rádio e televisão, Bukele garantiu na noite de sexta-feira que El Salvador é agora “o país mais seguro da América Latina”.


O presidente anunciou o início da fase 6 do Plano de Controle Territorial (PCT), que inclui a criação da Diretoria de Integração Nacional, liderada pelo argentino Alejandro Gutman.


As primeiras fases do PCT serão focadas na contenção das gangues, orientadas para “combater a pobreza, que tem múltiplas causas”, segundo Bukele.


Fora da prisão, membros de gangues de El Salvador tentam recomeçar a vida


[ad_2]

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *