EUA fecham 2022 com mais de 6 mil menores feridos ou mortos por armas de fogo – Notícias

[ad_1]


Os Estados Unidos fecham 2022 com mais de 6.000 menores feridos ou mortos por armas de fogo, o maior número registrado até agora pela ONG Gun Violence Archive, que produz essa estatística desde 2014.


No total, 1.631 menores foram mortos a tiros em um ano marcado pela violência com armas de fogo após os massacres em Buffalo, em Nova York, e Uvalde, no Texas, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira pela organização.


Além disso, 4.400 menores foram feridos por arma de fogo.


Ou seja, são 324 menores a mais do que em 2021, e mais 3.111 do que em 2014, quando as estatísticas começaram a ser recolhidas.



Neste ano, 43.675 pessoas morreram por violência com armas de fogo, a maioria (23.826) em suicídios.


Também houve 639 tiroteios em massa, que a organização define como incidentes envolvendo quatro ou mais pessoas, além do atirador.


Em maio, um supremacista branco de 18 anos entrou em um supermercado em Buffalo, em Nova York, e matou dez pessoas, a maioria negros, com um rifle semiautomático.


Poucos dias depois, outro jovem de 18 anos, também armado com um fuzil semiautomático, entrou em uma escola em Uvalde, no Texas, e matou 19 alunos e dois professores antes de ser morto a tiros pela polícia.



Os fatos ajudaram o Congresso dos EUA a aprovar um pacto histórico, ainda que mínimo, em junho para aumentar o controle de armas de fogo compradas por menores de 21 anos.


O acordo também estendeu a todo o país as chamadas leis de “bandeira vermelha”, já em vigor em estados como Califórnia, Nova York e Flórida, e que permitem a abertura de um processo judicial para confiscar as armas de fogo de quem representa perigo a terceiros ou a si mesmos.


[ad_2]

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *