O ministro da Fazenda, Fernando Haddad.
O ministro da Fazenda, Fernando Haddad.| Foto: Washington Costa/Ascom/MF.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta terça-feira (14) que a meta de inflação não está na pauta da reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN) que será realizada na quinta (16). Além do ministro da Fazenda, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e a ministra do Planejamento, Simone Tebet, também fazem parte do colegiado.

“Não adianta vocês me perguntarem uma coisa da qual eu não posso tratar. Queridos, tem uma reunião do CMN. Existe uma coisa chamada pré-Comoc e Comoc [reuniões feitas antes do CMN] que definem a pauta do CMN. [O debate sobre a meta da inflação] não está na pauta”, disse Haddad a jornalistas nesta tarde.

Em entrevista ao Roda Viva nesta segunda (13), Campos Neto afirmou que tem conversado com Haddad e Tebet sobre o cenário econômico, mas negou que o BC estude alterar a meta – que hoje é de 3,25% para 2023 e 3% para os dois anos seguintes, com tolerância de 1,5 ponto porcentual para mais ou para menos.

“Importante dizer que nós não estudamos mudança de meta. Não entendemos que a meta é um instrumento de política monetária”, afirmou o presidente do BC. “Se a gente fizer uma mudança agora, sem um ambiente de tranquilidade e um ambiente onde a gente está atingindo a meta com facilidade, o que vai acontecer é que você vai ter um efeito contrário ao desejado. Ao invés de ganhar flexibilidade, você pode terminar perdendo flexibilidade”, acrescentou.