Ministério da Saúde distribui seis mil testes de malária no território Yanomami – Notícias



O Ministério da Saúde anunciou que começou a distribuir na sexta-feira (10), seis mil testes rápidos de malária no território Yanomami, em Roraima. A previsão da pasta é de que os testes sejam utilizados durante dez dias, devido a importância de se diagnosticar rapidamente os casos de contaminação.


Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, mesmo os pacientes assintomáticos serão testados para que a pasta tenha uma análise mais precisa da situação nas aldeias. O teste é considerado simples: o agente coleta uma gota de sangue do paciente e utiliza um reagente para identificar a doença.


Ao menos sete polos de atendimento a indígenas estão fechados devido à insegurança causada pela ação de garimpeiros, revelou relatório da missão exploratória do Ministério da Saúde, ocorrida na segunda quinzena de janeiro, no território Yanomami.



A demanda de pacientes que seriam atendidos por esses polos deságua e sobrecarrega o Polo-Base Surucucu, que tem dificuldade de fazer busca ativa pelo alto volume de serviço de urgência e emergência.


O DSEI-Y (Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami) atende pouco mais de 31 mil indígenas. Eles estão distribuídos em 31 Polos-Bases e se localizam em 379 aldeias. Grupos ligados à mineração ilegal dominam áreas dentro da reserva, incluindo pistas de pouso e até uma unidade de saúde.


De acordo com o Ministério da Saúde, no território indígena Yanomami existem 31 polos-base e 37 UBSi (Unidades Básicas de Saúde Indígena).


Quando o relatório menciona que não há equipes de saúde em algumas unidades, é porque não havia condições de os profissionais serem enviados de forma segura para essas áreas.


Ainda de acordo com a pasta, foi solicitado o reforço na segurança, além das reformas estruturais para a reativação dos polos desativados.



Source link