Mulher recebe prótese de nariz ‘cultivada’ no próprio antebraço – Notícias





Uma francesa de 50 anos “cultivou” uma prótese de nariz no próprio antebraço durante dois meses para realizar uma cirurgia reconstrutora. 


Carine foi diagnosticada com câncer nasal em 2013 e se submeteu a diversos tratamentos, como quimioterapia e radioterapia. Os procedimentos eliminaram a doença, mas também comprometeram a maior parte do nariz. 


“Fiquei trancada dentro de casa nos últimos oito anos. Quando você está doente, você se isola, e o rosto é o que você vê primeiro”, contou a mulher ao portal de notícias francês 20 Minutes.


As tentativas de usar enxertos de pele para recuperar a área e próteses para ocultar os danos deram errado. Então, os cirurgiões Agnes Dupret-Bories e Benjamin Valerie tiveram a ideia de “criar” um nariz para a paciente. 





O modelo foi feito com biomaterial em uma impressora 3D. Em julho deste ano, os médicos implantaram o nariz artificial no antebraço da francesa, com o objetivo de que as células e vasos sanguíneos passassem a “crescer” em todo o entorno do dispositivo. 


“É um implante feito sob medida em biomaterial, que era basicamente um andaime para ser colonizado pelo corpo da paciente”, disse Dupret-Bories ao portal de notícias France3.


E acrescentou: “É como um suporte que dá forma. A pele vive ao redor, os tecidos vão para dentro do biomaterial, que é preenchido pelas células do corpo do paciente. O biomaterial impresso em 3D feito sob medida foi colocado sob a pele do antebraço para que pudesse ser colonizado”.


Para Carine, o dispositivo foi “milagroso”. 


“Esse biomaterial foi meu último recurso, e saúdo a pesquisa e o trabalho dos médicos que me ajudaram a aguentar”, comemorou.


A escolha do local se deveu à semelhança da pele da região com a do rosto — é mais fina. Durante dois meses, Carine visitou o hospital constantemente, para garantir que a pele estava crescendo bem, de forma funcional e sem danos.





Após esse período, a francesa foi submetida a um processo cirúrgico para mover o nariz até o rosto. Com a ajuda de um microscópio, os médicos conectaram os vasos sanguíneos do modelo com os da área desejada. 


A pele que teve de ser retirada do antebraço para a realocação do nariz foi substituída com um enxerto de uma coxa da paciente. Carine ficou dez dias sob os cuidados do hospital para evitar infecções e intercorrências, mas o transplante foi um sucesso. 


Hoje, a mulher não tem nenhuma sensibilidade relacionada ao implante e respira um pouco melhor. A reconstrução, nesse momento, foi considerada mais estética. Para restaurar as demais sensações mais comuns do nariz, há necessidade de outra cirurgia.


Apesar de o nariz ainda estar inchado, ele não tem vermelhidão. O implante, para Carine, foi um recomeço.


“Encontro os cheiros do meu jardim, posso sair, volto à vida. É milagroso”, contou.





Bebê nasce sem parte do crânio e é salva por prótese feita em impressora 3D





Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *