oposição reage a relatório da CPMI


Durante a votação do relatório do governista da CPMI do 8 de Janeiro, parlamentares da oposição ironizaram o documento, que é de autoria da senadora Eliziane Gama (PSD-MA). O texto sugeriu o indiciamento de 61 pessoas, entre elas, do ex-presidente Jair Bolsonaro.

“Relatório da CPMI [que está] recheado de mentiras, que condena inocentes e inocenta condenados”, avaliou o senador Jorge Seif (PL-SC), nesta quarta-feira, 18. “Relatório de injustiça, mentiras. Relatório que é trapo de imundícia e que nem para esterco pode ser comparado, pois esterco ainda serve de adubo. Injustiça cobra preço, um preço alto. Relatório que fede a enxofre.”

Como mostrou Oeste, a parlamentar sugeriu que o ex-presidente seja responsabilizado pelos crimes de associação criminosa, violência política, abolição violenta do Estado Democrático de Direito e golpe de Estado.

Entre os aliados do ex-presidente, que a senadora sugeriu o indiciamento no relatório da CPMI, estão cinco ex-ministros, sendo: o general Walter Braga Netto (Defesa), general Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), general Paulo Sérgio Nogueira (Defesa) e Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública).

Além disso, está a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP); o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro; Tércio Arnaud Tomaz; ex-assessor especial da Presidência; e 22 militares.

“A relatora sugeriu o indiciamento de Bolsonaro sem nenhuma evidência de sua participação”, declarou o senador Marcos Rogério (PL-RO). “Indiciou generais sem nenhuma participação nos atos, sem nenhuma evidência de qualquer conspiração, organização, liderança. Mas, ainda assim, indiciou generais.”

No documento, contudo, não há o pedido de indiciamento do general Gonçalves Dias, ex-ministro do GSI.

 “[Eliziane] é um fantoche a serviço do Lula”, avaliou o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG). “Então, esse relatório da CPMI não passa de água de salsicha, não serve para porcaria nenhuma. A relatora fez um relatório parcial, mentiroso e é fantoche da esquerda.”

Apresentado na terça-feira 17, o relatório da CPMI está sendo votado nesta tarde. A expectativa é que o documento seja aprovado, pois o governo tem maioria no colegiado.





Source link