Praticar 150 minutos de exercícios aeróbicos por semana reduz a gordura no fígado – Notícias



Dedicar 150 minutos por semana à prática de exercícios aeróbicos moderados ou intensos, como caminhar ou pular corda, pode reduzir significativamente – cerca de 30% – a quantidade de gordura no fígado.


A conclusão é de um estudo realizado por pesquisadores do Penn State College of Medicine, dos Estados Unidos, e publicado no American Journal of Gastroenterology.



Os cientistas comprovaram a recomendação do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, que já havia estipulado essa quantidade de exercícios como benéfica, mas também encontraram evidências de que a prática semanal é vantajosa para pacientes com DHGNA (doença hepática gordurosa não alcoólica).


“Nossas descobertas podem dar aos médicos a confiança para prescrever exercícios como tratamento para a doença hepática gordurosa não alcoólica”, disse Jonathan Stine, professor associado de medicina e ciências da saúde pública e hepatologista do Milton S. Hershey Medical Center, em comunicado.


De acordo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, a estimativa é que 30% da população global apresente DHGNA, sendo que aproximadamente metade desses pacientes podem evoluir para formas mais graves da doença, como cirrose e câncer.


Atualmente, não há medicamentos aprovados para o tratamento da condição, ou uma cura. Sendo assim, o exercício é a melhor forma de melhorar a qualidade de vida desses pacientes.


“Ter uma meta de atividade física será útil para os profissionais de saúde desenvolverem abordagens personalizadas, pois elas ajudam os pacientes a modificarem seus estilos de vida e a se tornarem mais ativos fisicamente”, relata Stine.



Para chegar a essa conclusão, os cientistas revisaram 14 estudos e participaram de pesquisas randomizadas e controladas sobre o assunto. 


A equipe descobriu que, independentemente se o paciente perde peso ou não, o exercício físico aumenta 3,5 vezes a chance dele alcançar uma redução na gordura hepática (maior ou igual a 30%), em comparação com aqueles que seguem um tratamento clínico padrão.


Além do mais, os pesquisadores identificaram que 39% dos pacientes que praticavam 150 minutos de atividade física aeróbica tinham uma resposta considerável ao tratamento, em comparação àqueles que não seguiam o mesmo padrão.


Apenas 26% das pessoas que praticavam doses menores de exercício apresentaram uma melhora no tratamento.


“Os médicos que aconselham pacientes com DHGNA devem recomendar essa quantidade de atividade [150 minutos] a seus pacientes. Caminhada rápida ou ciclismo leve por meia hora por dia, cinco vezes por semana, é apenas um exemplo de um programa que atenderia a esses critérios”, aconselha Stine.


O professor de medicina ainda incentiva que mais pesquisas se aprofundem nessa descoberta e comparem o impacto de diferentes exercícios na saúde de pessoas com altos índices de gordura hepática.


Veja 7 dicas para melhorar o sono das crianças sem remédio




Source link