Procurador processa empresas que prometem reversão de abortos


O procurador-geral da Califórnia, Rob Bonta, anunciou, na quinta-feira21, que entrou com uma ação judicial contra duas empresas que operam centros de gravidez em crise. Segundo ele, as companhias usaram “afirmações fraudulentas e enganosas” sobre um procedimento que afirmam poder reverter abortos medicamentosos.

A denúncia alega que a Heartbeat International (HBI) e a RealOptions enganam as pacientes ao afirmar que existe uma forma de “reverter” os efeitos do mifepristona, o primeiro de dois medicamentos orais utilizados para abortos induzidos.

De acordo com o promotor, as empresas afirmavam que era possível realizar o que chamavam de “reversão da pílula abortiva”.

Bonta ressalta que as companhias sabem que não há evidências de que o protocolo funcione, seja seguro ou eficaz, mas continuavam a promovê-lo e divulgá-lo aos pacientes.

Ainda segundo a denúncia, as empresas orientavam as pacientes a tomarem altas doses de progesterona em um intervalo de 72 horas depois de tomar o mifepristona para “reverter” os efeitos deste medicamento.

Empresas não notificadas

A HBI opera mais de 2 mil centros de recursos para gravidez nos Estados Unidos.

Já a RealOptions conta com cinco clínicas na Califórnia. A empresa afirmou nesta sexta-feira 22 que ainda não havia recebido a ação judicial.

“A RealOptions oferece cuidados de saúde reprodutiva holísticos compassivos, abrangentes e de alta qualidade, educação e cura de perdas reprodutivas para mulheres, homens, estudantes e famílias”, disse a CEO da empresa, Valerie Hill.

“Discordamos das alegações neste processo (alegações que o procurador-geral da Califórnia nunca nos deu a oportunidade de abordar antes de entrar com a ação) e esperamos abordá-las e refutá-las no tribunal.”

pilula aborto
HBI e RealOptins estariam recomendando que pacientes tomem altas doses de progesterona para reverter efeitos de remédio abortivo

A HBI publicou no X (antigo Twitter) que tomou conhecimento do processo por meio de pedidos de entrevista. Na noite de quinta-feira 21, a companhia afirmou que não foi notificada sobre a ação.

“Através da nossa linha direta da Rede de Resgate de Pílulas Abortivas, sabemos que algumas mulheres se arrependem quase imediatamente de sua escolha pelo aborto químico”, declarou a HBI. “Essas mulheres merecem o direito de tentar salvar a gravidez.”

Aborto reversíveis?

O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas destaca que não há evidências científicas de que a reversão do aborto seja eficaz ou segura.

“Aqueles que estão lutando com a complexa decisão de fazer um aborto merecem apoio e orientação confiável – e não mentiras e desinformação”, disse o procurador-geral em comunicado divulgado nessa quinta-feira 21.

“Estamos iniciando o processo de hoje para acabar com seu comportamento predatório e ilegal.”

Bonta pede ao tribunal que impeça as duas companhias de promoverem os procedimentos e que as multe por violarem os códigos comerciais.



Source link