saiba o que causa, sinais e tratamentos


tocofobia é a ansiedade intensa e injustificada que algumas mulheres têm em relação à gravidez, e em alguns casos, ao parto.

Essa condição pode ser entendida como primária, quando a mulher nunca passou por uma gravidez e ainda assim demonstra um medo mórbido em relação ao parto. Por outro lado, a tocofobia secundária é o medo extremo do parto, principalmente após já ter experiência prévia de parto, aborto, natimorto ou interrupção da gravidez.

A prevalência dessa condição corresponde a 6% a 10% das mulheres grávidas. Por vezes, ela está diretamente relacionada à dor, medo de desenvolver lesões durante o trabalho de parto ou de que essa situação traga ameaças à vida ou à saúde do bebê.

A gravidez é um evento que naturalmente desencadeia diversos sentimentos e emoções, pois é um período de transformação do corpo da mulher. Além disso, causar alterações emocionais, seja pela situação em si ou até mesmo pelo ambiente onde a gravidez está inserida.

É importante ressaltar que essa condição muda o foco durante o processo gestacional, pois, no início, há fortes temores em relação ao próprio corpo.

Para saber mais sobre tocofobia, quais são as causas, principais sinais e sintomas, e se há tratamento, continue acompanhando o artigo!

Índice — Neste artigo, você encontrará:

  1. O que causa a tocofobia?
  2. Sinais e sintomas
  3. É normal ter medo de engravidar?
  4. Tocofobia em homens
  5. Como é feito o diagnóstico?
  6. Há tratamento para tocofobia?

O que causa a tocofobia?

As causas da tocofobia ainda são incertas, mas alguns fatores podem predispor o desenvolvimento dessa condição.

Um dos fatores é a experiência de eventos traumáticos durante a gravidez ou o parto, mesmo que esses eventos tenham sido relatados por outras pessoas. Isso pode fazer com que a mulher se sinta insegura em relação ao atendimento médico ou tenha medo das dores durante o parto, por exemplo.

Além disso, fatores psicológicos como histórico de depressão, ansiedade e baixa autoestima também podem influenciar no desenvolvimento da tocofobia.

Outro fator relevante é o histórico de violência física ou sexual na vida da mulher, tanto antes de engravidar quanto durante a infância. Infelizmente, é comum que mulheres com essas experiências traumáticas apresentem maior propensão à tocofobia.

Contudo, é importante destacar que cada caso é único, e a tocofobia pode ser influenciada por uma combinação de fatores individuais. O apoio psicológico e o acompanhamento médico adequado são essenciais para auxiliar as mulheres que sofrem com essa condição.

Leia maisLuto materno: como lidar e quando buscar ajuda profissional? 

Sinais e sintomas

As principais sintomas da tocofobia podem incluir:

  • Alterações no sono, como insônia ou hipersonia;
  • Pensamentos frequentes relacionados ao parto;
  • Crises de ansiedade;
  • Medo em relação à saúde do bebê;
  • Vivenciar a gravidez com extrema ansiedade ou sofrimento (apesar de desejar ter o filho/a).

É importante ressaltar que a tocofobia é uma condição real e que o apoio adequado, como o acompanhamento médico e psicológico, é fundamental para auxiliar as mulheres que enfrentam esses desafios emocionais durante a gravidez.

Pessoa com a cobrindo o rosto com uma mão e com o teste de gravidez na outra.
Esses sintomas podem variar de intensidade e manifestação em cada pessoa afetada pela tocofobia.

É normal ter medo de engravidar?

É comum encontrar mulheres com medo de engravidar e do parto. No entanto, quando esse medo se torna patológico e causa prejuízos à qualidade de vida e saúde mental, é necessário buscar ajuda.

Tocofobia em homens

É comum que os homens apresentem tocofobia, seja por medo de não ter conhecimento suficiente sobre o processo de gravidez, por terem a sensação de estarem excluídos desse processo ou por incertezas relacionadas a habilidades como segurar o bebê, criar e garantir a saúde da mulher e da criança.

Além disso, alguns fatores sociais podem influenciar diretamente na responsabilidade que os homens sentem em proporcionar qualidade de vida para suas parceiras e filhos, e isso pode levar à frustração quando eles não conseguem corresponder às expectativas sociais.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da tocofobia geralmente é realizado por um(a) psiquiatra, que acompanhará a gestante ao longo de toda a gravidez. Isso ocorre quando os sintomas dos transtornos psiquiátricos começam a afetar significativamente a saúde mental e a qualidade de vida da gestante.

Durante esse processo, é possível identificar a presença de tocofobia por meio da investigação do histórico de vida e de saúde mental. Com base nessa avaliação, o(a) médico(a) poderá recomendar o tratamento adequado.

Leia tambémTranstornos mentais na gravidez: causas e como tratar 

Há tratamento para tocofobia?

O tratamento da tocofobia baseia-se no apoio familiar e de amigos, o que pode ajudar significativamente na redução dos sintomas de ansiedade durante a gestação e na escolha de um parto cesariano devido à insegurança ou medo em relação ao parto normal.

Além disso, o(a) médico(a) poderá recomendar acompanhamento psicoterapêutico para o controle emocional e dos sentimentos. A terapia desempenha um papel importante na construção da segurança durante o trabalho de parto e no período pós-parto.

Em alguns casos, o médico poderá prescrever medicamentos para ansiedade, depressão ou outros transtornos. No entanto, a administração desses medicamentos será criteriosamente avaliada para garantir que não causem nenhum dano à criança.


tocofobia é caracterizada como o medo e ansiedade acentuados diante da possibilidade de gravidez ou até mesmo do parto.

Se você ou alguém que você conhece apresentam um ou mais desses sinais, não deixe de buscar ajuda médica!

Para mais informações sobre saúde mental, acesse o Portal e as redes sociais do Minuto Saudável!


Referências



Source link