Sem cessar-fogo em Gaza, ‘as consequências serão duras’, alerta Irã – Notícias



O ministro das Relações Exteriores do Irã, Hossein Amirabdollahian, alertou nesta quarta-feira (1º) sobre “duras consequências” se os ataques continuarem na Faixa de Gaza, a mais recente de uma série de avisos do país, que apoia o Hamas e milícias em outras partes da região.


“Se um cessar-fogo imediato não ocorrer na Faixa de Gaza e os ataques rápidos dos EUA e do regime sionista [Israel] continuarem, as consequências serão duras”, disse ele em Ancara, capital da Turquia. 


Estados Unidos e Israel atacaram milícias apoiadas pelo Irã em toda a região em resposta ao que eles disseram ser ataques não provocados nas últimas semanas, o que alimentou o temor de que o conflito em Gaza possa desencadear uma guerra mais ampla.


A declaração de Amirabdollahian acontece dois dias antes do aguardado pronunciamento do secretário-geral do Hezbollah, Hassan Nasrallah, no Líbano.


O grupo terrorista é maior do que o Hamas e é considerado uma ameaça significativa a Israel, caso decida se envolver ainda mais no conflito. Desde o início da guerra, os extremistas libaneses têm realizado uma série de ataques a alvos no norte do território israelense.


O comandante da Força Quds do Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica do Irã, Esmail Qaani, está em Beirute.


A Força Quds é o braço do Exército iraniano que estrutura, financia, treina e equipa diversos grupos terroristas contrários aos Estados Unidos e a Israel no Oriente Médio, incluindo o próprio Hezbollah e o Hamas, mas também a Jihad Islâmica, o Houthi e a Resistência Islâmica no Iraque.


Nesta terça-feira (31), o grupo rebelde Houthi, do Iêmen, declarou guerra a Israel. Os milicianos dispararam diversos mísseis e enviaram drones em direção ao sul do país judeu, mas nenhum ataque foi bem-sucedido.


Os Estados Unidos acusam o Irã de interferência direta na região, justamente por fornecer todo o apoio necessário a esses grupos terroristas.



Source link