STJ autoriza acesso de família de Marielle à investigação sobre mandante de assassinato – Notícias

[ad_1]


A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu por unanimidade, nesta terça-feira (18), dar às famílias da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes acesso às provas já produzidas no inquérito policial que investiga os supostos mandantes do assassinato dos dois, ocorrido em março de 2018.


No julgamento, o colegiado entendeu que é aplicável o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que é direito do advogado, no interesse do representante, ter acesso às provas já documentadas em investigação.


A turma também levou em consideração recomendações internacionais para participação das famílias na investigação de homicídios, como o Protocolo de Minnesota, além de decisões recentes da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CDIH) sobre o tema.


Ao STJ, a família de Marielle afirmou que o inquérito tramita há muito tempo, sem nenhum resultado útil. O relator do recurso é o ministro Rogerio Schietti.


No voto, ele disse que o acompanhamento das investigações pela família é um direito e evita revitimização. “O direito do acesso à vítima ao inquérito deflui do princípio republicado que trata de garantir memória e devida reparação. É um direito à verdade, à memória e à Justiça. Negar acesso da vítima é reduzi-la a uma não entidade e reforçar a violação de seus direitos”, disse.


Há dois acusados de cometer o crime: Ronnie Lessa e Élcio Vieira de Queiroz. Eles seguem presos preventivamente e serão julgados pelo Tribunal do Júri, conforme já confirmou o STF.

[ad_2]

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *