Tutoriais de lavagem nasal viralizam nas redes; saiba como fazê-la da maneira correta – Notícias

[ad_1]


Não é de hoje que as pessoas compartilham nas redes sociais, especialmente no TikTok e Twitter, a reação inusitada de crianças durante lavagens nasais. O conteúdo, que inicialmente causa uma sensação de surpresa e aversão, pode ser útil a todas as faixas etárias.


O principal objetivo das lavagens nasais é remover o excesso de muco das vias respiratórias.


“O muco é produzido pela mucosa do nariz, é uma secreção [catarro], e ele aprisiona vírus, bactérias, sujeira, ácaros que entram na região. Então, o intuito da lavagem nasal é remover esse muco que está cheio de coisa tentando entrar na nossa via respiratória”, explica a otorrinolaringologista pediátrica Viviane Martori Pandini, professora da FMJ (Faculdade de Medicina de Jundiaí).


O maior benefício da prática é a limpeza automática feita no nariz, especialmente durante as estações mais secas (outono e inverno), que desencadeiam um aumento de produção de muco e são marcadas por uma maior circulação de vírus e bactérias.


“Além de fazer essa limpeza, quando você tem, por exemplo, um resfriado, ela remove mais fácil e ajuda a melhorar mais rápido, porque a gente produz mais secreção, e essa limpeza evita a contaminação bacteriana — ela joga para fora a bactéria, age na prevenção”, complementa Viviane.



Não há malefícios nem contraindicações para tornar essa prática parte da rotina, porém ela deve ser feita da forma correta, com o dispositivo ideal e na volumetria adequada para cada idade.


Segundo a otorrinolaringologista, as recomendações para cada faixa etária são:


até 6 meses: deve ser feita com soro fisiológico (cerca de 1 ml) e dispositivos como seringa e conta-gotas. A lavagem deve durar em torno de três segundos.


de 6 meses a 2 anos: utilizar soro fisiológico (5 ml a 10 ml) e seringa ou spray nasal de jato contínuo. O processo deve ter em torno de três a cinco segundos.


• de 2 meses a 6 anos: a melhor opção é o soro fisiológico (até 20 ml) em seringa, spray nasal de jato contínuo ou garrafinha. A lavagem tem que durar cerca de dez segundos.


de 7 anos em diante (inclusive adultos): precisa ser feita com soro fisiológico, usando-se seringa, garrafinha ou lota (20 ml na seringa ou 120 ml na garrafinha). O procedimento pode durar dez segundos.


Viviane acrescenta que há uma receita caseira parecida com soro fisiológico 0,9% que também pode ser utilizada na lavagem.


“[Vai ser preciso] um copo de água fervida de 250 ml, uma colherinha de café rasa (1,03 g) de sal marinho (de cozinha) e de bicarbonato de sódio (1,59 g)”, ensina.


O “Manual de lavagem nasal na criança e no adulto“, elaborado pela ABORL-CCF (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial), pela ABR (Academia Brasileira de Rinologia) e pela ABOPe (Academia Brasileira de Otorrinolaringologia Pediátrica), também orienta a população a evitar lavagens nasais com soluções geladas.


É recomendado que o líquido esteja em temperatura ambiente (25ºC) ou levemente aquecido.


Além desses quesitos, a posição correta faz toda a diferença durante a lavagem. A pessoa deve estar levemente inclinada para a frente, com a cabeça de lado e a boca aberta, como demonstrado na imagem abaixo.



Não apenas isso: o processo também deve ser realizado com uma pressão adequada. Esguichar o soro de uma vez no nariz não é aconselhado e pode ser danoso.


“O grande problema é jogar muito rápido, por exemplo, [com] garrafinha ou seringa, que são dispositivos de alto volume, ou seja, é bastante soro que você está jogando no nariz. Se você jogar muito rápido, em uma posição não tão adequada, o soro [pode ir] para o ouvido”, alerta Viviane.


Periodicidade da lavagem


A quantidade de lavagens nasais por dia varia de caso a caso. Para as pessoas que não têm doenças nasais, como sinusite, o processo pode ser realizado apenas em períodos mais secos ou em caso de infecção viral, como um resfriado. Também há a possibilidade de fazê-la durante o banho (uma vez ao dia) como forma de prevenção.


Já aqueles com rinite alérgica e não alérgica, rinossinusite crônica e perdas olfativas, entre outras condições nasais, devem efetuar a lavagem o ano inteiro — uma ou duas vezes ao dia.


Alternativa ao descongestionante nasal


A lavagem também é uma excelente forma de substituir o uso contínuo de descongestionantes nasais, que podem ser prejudiciais às vias respiratórias. 


“[O descongestionante] é um remédio vasoconstritor. Ele age no vaso sanguíneo, dentro da mucosa do nariz, e diminui esse vaso. E o que acontece? Se os vasos sanguíneos se fecham, abre-se espaço dentro do nariz, e aí a pessoa tem a sensação de estar respirando bem. Mas, depois de um tempo, ele tem um efeito rebote, ou seja, o vaso sanguíneo volta a crescer, e o nariz volta a entupir”, relata Viviane.


De acordo com a especialista, se o indivíduo usa esse produto todos os dias, a longo prazo ele pode ter uma rinite medicamentosa no nariz — a mucosa começa a ser agredida.




*Estagiária do R7, sob supervisão de Fernando Mellis


Anda esquecido? Veja vitaminas e minerais que podem dar uma forcinha para o seu cérebro


[ad_2]

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *